sábado, 13 de outubro de 2012

Morre o biólogo Keith Campbell, um dos 'pais' da ovelha Dolly

   O biólogo britânico Keith Campbell, um dos "pais" da ovelha Dolly, morreu na sexta-feira passada aos 58 anos, segundo informou nesta quinta-feira (11) um porta-voz da Universidade de Nottingham, no leste da Inglaterra, onde Campbell era doutor.   O especialista em microbiologia foi um dos quatro membros da equipe do Instituto Roslin de Edimburgo, na Escócia, que em fevereiro de 1997 anunciou o nascimento da ovelha Dolly, o primeiro mamífero clonado a partir de células adultas de um exemplar de 6 anos.
   Embora a clonagem de Dolly fosse liderada pelo embriologista inglês Ian Wilmut, mais de 60% da pesquisa são atribuídos a Campbell.

Imagem de 25 de fevereiro de 1997 mostra a ovelha Dolly aos 7 meses na Escócia (Foto: Paul Clements/AP)

   Em 2008, Wilmut foi condecorado pela rainha Elizabeth II como cavaleiro do Império Britânico por suas contribuições à ciência, embora um ano depois ele tenha admitido que a maior parte da pesquisa foi mérito de Campbell.
   Desde o nascimento de Dolly – que foi sacrificada em fevereiro de 2003, aos 6 anos, por apresentar sinais de envelhecimento precoce e problemas pulmonares, em uma tentativa de evitar um sofrimento maior –, a clonagem animal avançou rapidamente e, até hoje, foi clonada uma grande variedade de mamíferos, como ovelhas, porcos, cabras, cavalos, cachorros e gatos.   Dois anos antes de o mundo conhecer Dolly, Campbell liderou a pesquisa que levou ao nascimento dos bezerros galeses Megan e Morgan, os primeiros mamíferos a serem clonados a partir de células-tronco embrionárias.
   No anos 1980, o biólogo escocês ingressou no Marie Curie Institute, instituição que lhe concedeu uma bolsa de estudos para pesquisar os mecanismos de crescimento e diferenciação celular relacionados ao câncer, pelos quais se mostrou cada vez mais interessado.
   Desde 1999, Campbell, que chegou a somar mais de 30 anos de experiência científica, dava aulas de desenvolvimento animal na universidade de Nottingham, na qual desenvolveu suas pesquisas sobre o processo de clonagem e reprogramação celular.