sábado, 25 de junho de 2011

Brasil terá "Wikipedia" das plantas da Amazônia

Pesquisadores vão colocar na internet dados sobre todas as plantas conhecidas da floresta. Cidadãos também vão poder contribuir

Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) estão desenvolvendo uma nova ferramenta que promete revolucionar o conhecimento sobre a biodiversidade da Amazônia. O Wikiflora ou Wikibio, uma espécie de Wikipedia florestal, está em fase embrionária e pretende ser apresentado pelos pesquisadores na Conferência das Nações Unidas em Desenvolvimento Sustentável (Rio +20) em junho de 2012.
Alberto Vicentini, pesquisador do Inpa e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Botânica do instituto, afirmou que a ideia do projeto surgiu em fevereiro deste ano, durante uma visita do ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante à Reserva Ducke, em Manaus. Esta reserva é a área mais estudada da Amazônia brasileira, com centenas de espécies catalogadas. Na ocasião, os pesquisadores do Inpa revelaram a necessidade de fazer um levantamento mais ágil da biodiversidade local. Apenas na Reserva Ducke, que tem 10 mil hectares de floresta tropical (o equivalente a 10 mil campos de futebol), estima-se que existam, pelo menos, mil espécies de plantas ainda não registradas.
“O ministro, sensibilizado pela debilidade da ciência botânica na região norte do Brasil, gostou tanto do livro e da ideia da plataforma digital que decidiu apoiar fortemente a iniciativa fazendo dela uma proposta de ministério a ser capitaneada pelos três institutos de pesquisa do MCT na Amazônia: o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, de Manaus, o Museu Emílio Goeldi, de Belém, no Pará, e o Instituto Mamirauá de Tefé (Amazonas)”, explicou Vicentini.
“A Amazônia é a região que abriga a maior diversidade de plantas e a maior extensão de florestas tropicais do mundo. No entanto, o conhecimento dessa diversidade botânica é muito incipiente, muitas áreas nunca foram exploradas cientificamente e muitas novidades ainda são descobertas mesmo em áreas consideradas bem conhecidas”, complementou. O projeto não tem uma data especifica para ser concluído.
O pesquisador afirmou ainda que existe uma preocupação muito grande com relação à produção de conhecimento da biodiversidade da Amazônia e que o Wikiflora deve atenuar esse problema, atraindo mais pessoas para a botânica. “O número de pesquisadores que produzem esse conhecimento básico e que atuam na Amazônia é muito baixo e esse tipo de profissional, o taxonomista, é uma espécie ameaçada de extinção. , pontuou. “Wikiflora seria também um instrumento para fortalecer a botânica da região Norte, carente de pessoal especializado no assunto”, complementou.
Áreas imensas da Amazônia possuem uma quantidade inestimável de espécies ainda desconhecidas pela ciência

Parceria
Na semana passada, o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) anunciou uma parceria com a IBM para o desenvolvimento da plataforma digital que vai abrigar a wikiflora. Hoje, existe até um domínio da ferramenta na internet, o wikiflora.org, mas o modelo conceitual dessa plataforma ainda está em fase de elaboração.
O que se tem é um esboço, que vem sendo abastecido por dados de alguns projetos do próprio Inpa. “Dois fundamentos guiaram a criação dessa plataforma embrião: liberdade de inovação para criar ferramentas que permitam conhecer espécies, manipular dados e disponibilizar informação e a estruturação de um repositório de dados taxonômicos brutos, que atrele informações diretamente a testemunho, seja ele uma árvore marcada em algum lugar ou uma amostra depositada num herbário”, explicou o professor.
                   Rio desconhecido no meio do Estado do Amazonas: faltam pesquisadores para descobrir novas espécies

“O Wikiflora não é apenas um catálogo ou enciclopédia das espécies de plantas da Amazônia, mas uma ferramenta que pode modernizar a maneira pela qual os botânicos reconhecem e descrevem espécies, além de também favorecer a democratização da produção desse conhecimento ao permitir que pesquisadores não botânicos e o público contribuam com informações sobre plantas”, complementou.
Albertini também pontuou que esse projeto irá ajudar em atividades de conservação e preservação ambiental já que agências ambientais e empresas de manejo florestal também serão usuárias do sistema. “É uma ferramenta importante também para promover o uso sustentável da biodiversidade e atividades de bioprospecção. Todas essas atividades dependem de espécies bem delimitadas e ferramentas adequadas de identificação”, finalizou.
FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/brasil+tera+wikipedia+das+plantas+da+amazonia/n1597043038991.html